Desde a bateria, ao tamanho, mobilidade e ao equilíbrio perfeito da relação preço / qualidade ao comparar portáteis todos são fatores importantes.

Aqui ficam dicas e passos importantes que deves ter em consideração ao escolher um computador para garantir a melhor escolha e a melhor compra!

1. Começa por definir o tamanho do PC

Começa por escolher o tamanho ideal de computador, tendo em consideração se vais precisar de o transportar constantemente, ou se raramente o vais carregar e mudar de lugar. O tamanho influencia o peso, teclado e outros aspetos do computador.

Podes encontrar portáteis com vários tamanhos (em polegadas) e peso. Os mais compactos e leves são os portáteis de 11 polegadas. A partir daí, aumentam gradualmente até às 15 e 17 polegadas, tamanhos mais comuns, mas existem outros!

Assim sendo, um maior ecrã facilita a visualização de conteúdos, sobretudo para ver filmes e séries, ou jogar. No entanto, os portáteis mais compactos são mais fáceis de transportar e, por norma, são mais leves.

2. Tem atenção à ergonomia do portátil

Presta atenção à qualidade de construção, materiais usados na “carcaça” e acabamentos. Vê ainda a forma, o tato e funções do touchpad. O mesmo pode ser dito do teclado, certifica-te de que gostas da sensação de escrever no portátil.

Estes traços variam bastante de fabricante para fabricante e podem condicionar a adaptação do utilizador ao computador, bem como a própria produtividade. Pensa ainda se queres um teclado retroiluminado para, por exemplo, escrever à noite.

Fazer a melhor escolha ao comprar um PC portátil passa ainda pelo design, cor e estilo do computador. Sendo um investimento considerável, é importante que também gostes do aspeto do produto e conforto de utilização.

3. Opta pelo melhor processador

O “coração” e “cérebro” dos computadores é o seu processador, a primeira grande especificação técnica que deves ter em conta quando queres comprar um portátil. Aqui tens duas fabricantes, a Intel e a AMD, cada uma com várias categorias.

Os melhores processadores da Intel são os Core i9, pouco comuns nos portáteis. Em seguida tens os Core i7 nos portáteis avançados. Seguem-se os Core i5 e Core i3 nos portáteis de gama média e baixa, estes consumindo menos energia.

A AMD tem a série Ryzen 7 e Ryzen 5, equiparável aos Core i7 e Core i5 da Intel, mas mais baratos. Segue-se a gama AMD A com os A12, A9, A6 e A4, todos muito equilibrados. Por fim temos a gama AMD E, equiparáveis aos Core i3 da Intel.

4. Não te esqueças da placa gráfica

Vais usar o computador portátil para jogar? Precisas de fazer trabalhos em edição de vídeo, imagem, 3D, ou design gráfico? Então precisarás de uma placa gráfica com memória dedicada, uma GPU com uma quantidade de memória VRAM variável.

Se a utilização pretendida for leve, para editar texto, tirar apontamentos, aceder à internet, consultar o email e tarefas pouco exigentes, então a solução mais comum e barata são as gráficas integradas na placa mãe do portátil.

Podes identificar a gráfica do computador portátil pelo nome da fabricante, sendo a ATI e a NVIDIA as duas grandes marcas.

5. Memória RAM nunca é demais!

A memória RAM ajuda o processador a lidar e gerir as tarefas, programas e pedidos feitos, sendo um componente de grande importância. Aqui, por norma, quanto mais memória RAM tiver o portátil, melhor! Será sempre mais rápido e fluido.

Atualmente, com 4 GB já consegues ter uma boa experiência de utilização, mas, se possível, escolhe um PC portátil com pelo menos 8 GB de RAM. Se precisas de uma séria máquina de trabalho, aponta para 12, 16, ou até 32 GB de memória RAM.

Aconselhamos também a ter em conta a capacidade de expansão suportada caso futuramente queiras melhorar os recursos do teu PC portátil.

6. Equilibra o armazenamento com a “cloud”

A capacidade e tipo de armazenamento são um fator importante ao escolher um PC portátil. Pensa também se costumas guardar grandes ficheiros no computador e nas várias soluções (algumas gratuitas), de armazenamento online, na cloud.

O primeiro passo é a opção entre HDD (discos rígidos mais antigos), ou SSD (discos de estado sólido). Estes últimos têm uma velocidade de leitura e escrita muito maior e tornarão o computador mais rápido, mas também são mais caros.

Paralelamente existem soluções híbridas, computadores portáteis com discos principais HDD (para ficheiros gerais) e com um pequeno disco de arranque SSD (para ficheiros de sistema), sendo também uma boa opção.

7. Conectividade para mais mobilidade

Como escolher um portátil que dê resposta a todas as tuas necessidades? Precisas de um leitor de cartões de memória, porta HDMI e Ethernet, ou basta-te uma porta USB para ligar todos os periféricos como o rato, webcam e outros acessórios?

Para fazer a melhor escolha num PC portátil pensa também no que lhe precisarás de ligar. Quantos periféricos necessitarás de conectar ao computador? Vê também o tipo de portas USB, com as do Tipo-C a serem as mais modernas, e rápidas.

De qualquer modo, existem adaptadores que podes comprar posteriormente para suprir alguma necessidade emergente.

8. Bateria é sinónimo de autonomia

A autonomia de um computador portátil depende das caraterísticas técnicas como o processador, placa gráfica e do ecrã. Quanto mais exigentes forem estes componentes, menor será a autonomia média do PC portátil, variando entre 3 a 10 horas.

Em síntese, um portátil com processador mais fraco, ou menos exigente, por norma exige menos energia da bateria, por conseguinte, aumentando a autonomia. Portanto, se queres o portátil com melhor autonomia, terás que abdicar de algum “poder”.

Os MacBook Air os portáteis Apple com a melhor autonomia de bateria, acima de 10 horas, mas também computadores (Windows), com duração comparável a chegar perto das 10 horas. Terás sempre que optar entre desempenho e autonomia.

9. A marca do portátil também importa

Algumas marcas inspiram mais confiança do que outras, um facto que não podemos ignorar. Seja pela durabilidade dos materiais de construção, ou pela qualidade dos componentes utilizados e longevidade dos mesmos, é algo a ter em conta.

Vale ainda referir que algumas fabricantes oferecem melhores condições na assistência pós-venda e na atenção ao cliente. Além disso, há novas marcas, por vezes desconhecidas, que acabam por surpreender pela positiva, ou desiludir.

Este quesito é bastante volátil, com algumas marcas de portáteis a esmerar-se em determinada altura, bem como lotes de equipamentos que podem trazer defeitos. É algo que terás de consultar junto das superfícies de venda.

10. Escolhe o teu sistema operativo favorito

Por fim, é necessário escolher o sistema operativo, ou plataforma, pretendida para o computador portátil. Existem vários à escolha, com o Windows da Microsoft e o MacOS da Apple a serem os mais famosos, ou o Linux e até o ChromeOS da Google.

Se já tiveres outros dispositivos Apple é vantajoso optar pelos computadores MacOS, usufruindo assim deste ecossistema coeso, gratificante e simples de usar. No entanto, para um utilizador casual, os portáteis Windows são bem mais baratos.

Podes ainda optar pelos Chromebook que podem ser a melhor compra em PC portátil se queres um computador para trabalho na escola e o orçamento é reduzido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *